Água-viva

Água-viva
Dedetização

Dedetização

A água-viva é uma das criaturas mais bonitas, estranhas e misteriosas que existem. Tão perigosas quanto bonitas. A água-viva existe há mais de 650 milhões de anos e existem milhares de espécies diferentes. A maioria é transparente e tem o formato de um sino. As águas-vivas são animais marinhos, que variam bastante de tamanho.

Existem algumas de menos de 2 centímetros, e outras com mais de 2 metros de diâmetro, com tentáculos de até 40 metros de comprimento. Na grande maioria a locomoção depende da das correntes pois não têm forças para ir contra a correnteza, mas algumas água-vivas conseguem nadar lançando um jato de água, e essas podem nadar conta a corrente.

A água-viva é um animal marinho do filo Cnidaria, que existe nas classes Scyphozoa, Hydrozoa e Cubozoa. A boca fica no centro do corpo, na parte de baixo, entre os tentáculos. São parentes da água-viva os corais, anêmonas do mar e a caravela-portuguesa.A água-viva é um animal que tem o corpo composto por cerca de 98% de água. Se ela encalhar na praia, praticamente irá desaparecer à medida que a água evaporar.


Simetria Radial

simetria radial

Seu corpo tem simetria radial – os membros se estendem de um ponto central como os raios de uma roda. Simetria radial significa que todos os lados da água-viva são iguais. Se você cortar uma água-viva pela metade em qualquer ponto, sempre terá partes iguais.

A água-viva não possui ossos, cérebro nem coração. Para ver a luz, detectar odores e se orientar, a água-viva tem nervos sensoriais na base de seus tentáculos.


O corpo da água-viva geralmente é composto de seis partes

* a epiderme, que protege os órgãos internos (pele).
* a gastroderme, que é a camada interna (outra pele por dentro).
* a mesogléia, ou parte gelatinosa intermediária, entre a epiderme e a gastroderme(uma meleca gelatinosa no meio das duas peles).
* a cavidade gastrovascular, que funciona como um conjunto do esôfago, estômago e intestino, tudo em um só.
* um orifício que funciona como boca e ânus.
* tentáculos.


Medusa

medusa transparente

Uma água-viva adulta também é conhecida como Medusa (por causa de Medusa, a criatura mitológica com cobras no lugar do cabelo). Uma medusa vive cerca de três a seis meses.

A água-viva é carnívora, ou seja, ela come outros animais. As águas-vivas menores também se alimentam de algas e outros plânctons minúsculos, chamados zooplânctons, através de infiltração. As águas-vivas maiores comem crustáceos e outros animais aquáticos grandes.


Cifozoários 

Compreendem apenas medusas. Podem ter de poucos centímetros a 3 metros de diâmetro. Em geral, são grandes, têm a camada gelatinosa (mesogléia) bem desenvolvida e não apresentam uma lâmina delgada encontrada na face convexa doz hidrozoários (acraspédotas ou acalefas).

Esta classe é muito comum no litoral brasileiro, frequentemente, encontram-se medusas nas praias, depois das marés altas. Movimentam-se por jato-propulsão, ou seja, pela contração das faixas musculares que expulsam a água e deslocam a medusa.

Muitas se alimentam de peixes, camarões e outros pequenos crustáceos. Algumas têm braços bem longos, mas os tentáculos da Cycmea chegam a alcançar o incrível comprimento de 40 metros. Em compensação, noutras espécies eles são tão curtos que se tornam difíceis de perceber à primeira vista.


Fases do desenvolvimento

Depois que o macho libera seu esperma na água por seu orifício, o esperma nada até o orifício da fêmea e fertiliza os óvulos. Várias dezenas de larvas de água-viva podem ser concebidas de uma só vez. As larvas, chamadas plânulas pelágicas, têm forma oval e são ciliadas.

Em algumas espécies, as larvas se desenvolvem como uma nova medusa, em outras, elas flutuam nas correntes e procuram uma superfície sólida para se fixarem, como uma rocha. Ao se fixarem, elas se tornam pólipos, cilindros ocos com uma boca e tentáculos na parte superior.

Os pólipos reproduzem-se assexuadamente dividindo-se em gomos, cópias menores do pólipo-pai. Estes gomos podem libertar-se e fixar-se em outro substrato ou podem iniciar o processo de divisão em discos sobrepostos que se libertam como larvas chamadas éfiras. Depois de algumas semanas, as éfiras se desenvolvem, tornando-se medusas adultas.


O veneno das águas vivas

O corpo das águas-vivas e mais abundantemente os tentáculos são cobertos por células urticantes (cnidócito). Quando uma água-viva encontra outro objeto, uma estrutura de disparo no exterior do cnidócito, um “gatilho” denominado cnidocílio, prepara o veneno para ser “lançado”.

As estruturas das células urticantes atingem a vítima como pequenos dardos venenosos. O veneno é uma neurotoxina que paralisa a presa. Embora uma água-viva possa matar um animal aquático pequeno, sua fisgada normalmente não é fatal aos humanos, mas claro…toda regra tem excessões, e algumas são fatais até para humanos.
A fisgada costuma provocar dor, irritações na pele, febre e cãibras nos músculos.

O grau de dor e a reação a uma fisgada de água-viva pode depender da espécie. As águas-vivas maiores têm cnidoblastos grandes que podem penetrar mais fundo na pele e algumas delas possuem um veneno mais forte do que outras.


cena impossívelmarcas deixadas pelos tentáculos

Não é possível nadar com segurança entre as águas vivas. A moça da foto está em um lago em Palau (ilha do Pacífico) onde as água-vivas desenvolveram-se sem predadores e por isso não necessitam se defender e não possuem tentáculos urticantes.

É um raro, se não o único, lugar do mundo onde essa cena seria possível. A outra foto mostra um ferimento sério feito por uma água-viva conhecida como vespa-do-mar. Sua fisgada é um mecanismo de defesa e uma forma de capturar a presa.